sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Primeiro reinado – Exercícios


Respostas ao final
1) Quais foram as províncias que viveram conflitos pela independência, no Brasil? 
2) Qual foi a última província a encerrar a guerra de independência no Brasil?
3) A maior dificuldade no reconhecimento internacional da independência do Brasil foi criada por Portugal. Quais foram as exigências atendidas?
4) Como o Imperador D. Pedro I encerrou as discussões na Assembleia Constituinte, que queria limitar seu poder?
5) Como ficou a divisão do poder do estado com a primeira constituição brasileira?
6) Como eram as regras para as eleições, de acordo com a Constituição outorgada por D. Pedro I?
7) Cipriano Barata e o Frei Caneca lideraram um movimento revolucionário em Pernambuco.
(a) Com qual denominação esse movimento ficou conhecido?
(b) qual era a proposta desse movimento revolucionário?
8) Comente as consequências da Guerra pela Cisplatina.
9) Como terminou o reinado do imperador D. Pedro I, no Brasil?
10) Por que o filho do imperador não pode exercer o governo imediatamente após ser indicado por D. Pedro I?

RESPOSTAS
1 - As províncias com conflito foram: Grão Pará, Maranhão, Piauí, Bahia e Cisplatina.
2 - A última foi a Bahia.
3 - O Brasil concordava em indenizar a antiga metrópole (Portugal) com a elevada quantia de 2 milhões de Libras Esterlinas (moeda britânica), quantia conseguida por empréstimo à Inglaterra, além do título de "Imperador Perpétuo do Brasil" para Dom João, rei de Portugal. 
4 - Dom Pedro I mandou dissolver a Assembleia Constituinte usando tropas do Exército.
5 - O poder ficou dividido em quatro partes: Executivo, Legislativo, Judiciário e Moderador (o 4º poder era de uso exclusivo do imperador e permitia a ele controlar os outros poderes do Estado).
6  - O voto era indireto e censitário (só participava das eleições quem tinha renda alta).
7 - (a) A Confederação do Equador (1824).
   - (b) liberalismo e república.
8 - Foi o início de uma guerra entre o Brasil e a a República das Províncias Unidas (atualmente chamada de Argentina), que causou muitas perdas humanas e altíssimos custos financeiros para os dois países.
9 - Por estar isolado politicamente (sem apoio das elites) e sem contar mais com os militares abdicou do trono brasileiro em favor de seu filho.
10 - por ter apenas 5 anos de idade (a Constituição estabelecia a idade mínima de 18 anos  para ser imperador).

domingo, 17 de setembro de 2017

Cai na prova de História – 2ª Certificação



Conteúdo a ser cobrado na prova de História – 2ª Certificação (8º ano).
- As independências na América Latina (Haiti e América Espanhola). – Relacionadas com questões internacionais da época: iluminismo, Revolução Industrial, Revolução Americana, Revolução Francesa e Era Napoleônica.
Estudar pelo livro: pág. 120, 121 (independência do Haiti), 123, 127 (independências na América Espanhola).
Estudar pelo blog: revoltas coloniais e independências na América Latina (texto e exercícios).
- A Crise no Sistema Colonial na América Portuguesa (reformas pombalinas, movimentos de libertação: em Minas Gerais e na Bahia e a transferência da corte portuguesa para o Rio de Janeiro).  Relacionada com questões internacionais da época: iluminismo, Revolução Industrial, Revolução Americana, Revolução Francesa, Era napoleônica, Congresso de Viena e independências na América Latina.
Estudar pelo livro: pág. 139, 140, 142 (o Brasil e a crise no antigo sistema colonial), 143, 144, 145, 146, 147 (a família real no Brasil).
Estudar pelo blog: a crise no sistema colonial português e a transferência da corte portuguesa para o Brasil (texto e exercícios).
- A Independência do Brasil e Primeiro Reinado.
Estudar pelo livro: pág. 148, 149 (a independência do Brasil).
Estudar pelo blog: a independência do Brasil (texto e exercícios).

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Independência do Brasil - com exercícios após o texto


          Depois do retorno do rei D. João VI para Portugal, em 1821, seu filho ficou no Brasil. O país parecia estar unificado e a unidade territorial assegurada.
Cortes de Lisboa
D. Pedro, como príncipe Regente do Brasil, enfrentou reais dificuldades com o parlamento que governava Portugal: as Cortes de Lisboa (resultado da Revolução Liberal do Porto, de 1820).

Um dos objetivos das Cortes era desmanchar a autonomia do Brasil e “recolonizar”. Na verdade, desejavam a volta do pacto colonial, com o monopólio português sobre o comércio (exportação e importação) do Brasil.
A tarefa do Príncipe D. Pedro era resistir às Cortes, desafiar as ordens vindas de Lisboa e tentar salvar o absolutismo derrotado pela revolução de 1820.   
Enquanto isso, as elites brasileiras, predominantemente latifundiária, temia as medidas das Cortes. A abertura dos portos e o liberalismo comercial deram grandes vantagens a essa elite. Identificaram que o Príncipe Regente deveria ser apoiado em sua resistência às Cortes de Lisboa. Assim preservariam as vantagens, sem correr o risco de ter que participar de revoluções populares.
Dia do Fico
Dia do Fico

Os atritos entre D. Pedro e as Cortes foram crescentes, até que veio uma ordem de Lisboa para que o príncipe retornasse para Portugal. O anúncio da decisão de não obedecer à ordem ganhou destaque e passou a ser conhecido como o Dia do Fico (9 de janeiro de 1822).
Proclamação da Independência
A tensão entre o Príncipe Regente e as Cortes de Lisboa não diminuíram. D. Pedro era muito influenciado por um brasileiro chamado José Bonifácio de Andrada, seu ministro, e e por sua mulher, a Princesa Leopoldina.
Coroação do Imperador D. Pedro I
Quando o príncipe estava em viagem pela província de São Paulo, chegou às suas mãos um documento com novas ordens enviadas pelas Corte. Nesta ocasião ele tornou pública a sua decisão de emancipar o Brasil. Foi um ato simbólico (proclamação da independência), pois a decisão já estava tomada desde o dia 6 de agosto (assinatura da Declaração de independência), além da convocação de uma Assembleia Constituinte.
OBS – Nesse período a elite brasileira formou facções, que frequentemente são consideradas como partidos. Alguns desejavam manter os laços do Brasil com Portugal (Partido Português), enquanto outros desejavam a independência (Partido Brasileiro). Mas o Partido Brasileiro tinha duas propostas distintas. Alguns defendiam a permanência da monarquia após a independência (moderados) e outros preferiam a independência com a mudança para a forma republicana de governo (radicais ou exaltados).


Independência do Brasil e Primeiro Reinado

Exercícios                               (consultar livro: pág. 148 e 149) - respostas ao final
1) Com o governo português sendo chefiado pelo general Beresford (inglês) e o descontentamento que isso causava, muitos questionavam a insistência de ____________ em permanecer no __________________.
2) Os setores mercantis portugueses se queixavam de prejuízos. Qual seria a causa?
3) Em 1820, onde começou a Revolução Liberal?
4) O que era exigido pelos líderes rebeldes da Revolução Liberal do Porto?
5) Um processo eleitoral formou as Cortes de Lisboa. O que eram as Cortes?
6) Quais foram as medidas aprovadas pelas Cortes de Lisboa que atingiam o Brasil?
7) Antes de retornar a Portugal, o que fez D. João para garantir a permanência de sua família no governo do Brasil?
8) O que as elites brasileiras queriam evitar ao apoiarem a permanência de um monarca português no poder, no Brasil?
9) Qual era o grande temor das elites brasileiras, se houvesse uma rebelião popular?
10) Podemos dizer que a independência do Brasil foi o resultado de uma aliança entre os interesses do ____________________________ e os da __________________________ .
11) Após a independência o Brasil nasceu como um país ___________________________  e ______________________ .
12) Como foi realizada a tarefa de construir o Estado nacional Brasileiro, após a independência?

RESPOSTAS
1 - Dom João VI /  Brasil.
2 - A causa seria o fim do monopólio comercial português, devido a Abertura dos Portos Brasileiros. 
3 - A Revolução Liberal começou na Cidade do Porto, região norte de Portugal.
4 - Exigiam o retorno do rei Dom João VI para Portugal e a recolonização do Brasil (volta do pacto colonial: com monopólio comercial e sem autonomia administrativa).
5 - Eram o parlamento português da época. Nela os deputados eleitos debatiam as medidas a serem tomadas. Passou a ser o centro do poder político.
6 - Restrição da liberdade administrativa e comercial do Brasil e o restabelecimento de monopólios e privilégios para os portugueses.
7 - Dom João VI nomeou o seu filho mais velho, Pedro, como Príncipe Regente do Brasil.
8 - Queriam evitar a mobilização social pela independência.
9 - Havia um temor muito grande de uma rebelião escrava, como a que ocorreu no Haiti.
10 - Príncipe Dom Pedro  / aristocracia rural brasileira (elite social da época).
11 - monárquico / escravista.
12 - Foi realizada procurando anular as diferenças culturais entre as províncias, muitas vezes pelo uso da força militar.