quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Exercício de Aula 8 – fascismo e nazismo

(consultar o livro nas pág. 126 e 128)

1) Quem foi o líder e criador do Partido do Fascio (Partido Fascista Italiano)?

R: Foi Benito Mussolini.

2) Além do uso de grupos paramilitares e do nacionalismo extremado, quais são as principais ideias defendidas pelos fascistas?

R: defendia a supremacia do Estado sobre a sociedade, a limitação dos poderes do Legislativo, o combate à democracia, o combate ao liberalismo, o combate ao comunismo, o restabelecimento da ordem social, empreender o desenvolvimento econômico e a expansão territorial da Itália.

3) Qual foi o cargo oficialmente ocupado por Mussolini a partir de 1922?

R: Exerceu o cargo de Primeiro Ministro.

4) Quais foram as mudanças criadas pelos fascistas, para os trabalhadores?

R: As principais mudanças foram a proibição das greves e dos sindicatos (que foram substituídos por corporações).

5) Como Mussolini conseguiu o apoio da Igreja Católica para o Estado fascista?

R: O acordo com o Papa foi chamado de "tratado de Latrão" - foi criado o Estado do Vaticano (independente), o catolicismo passou a ser a religião oficial da Itália e a base do ensino escolar.

6) Por que Adolf Hitler foi preso em 1923?

R: porque participou da liderança de um fracassado golpe de Estado, conhecido como Putsch de Munique.

7) Como a crise de 1929, ocorrida nos Estados Unidos, atingiu a Alemanha?

R: A crise nos EUA, em 1929, atingiu a Alemanha e se agravou em 1930, devido a grande saída de capitais norte americanos (que estavam investidos na Alemanha). Esse movimento causou muitas falências de bancos e indústrias e desemprego em larga escala.

8) Quais eram as principais ideias defendidas pelo Partido Nazista?

R: a crença na superioridade racial alemã, o isolamento e eliminação dos judeus (purificação racial), a conquista do "espaço vital" (expansionismo militarista).

9) Qual era o Objetivo dos nazistas com a ideia de conquista do Espaço Vital?

R: o objetivo seria a criação de um império germânico (Terceiro Reich), com o domínio sobre as matérias primas vitais e que uniria todas as regiões de populações germânicas.

10) Para qual cargo Adolf Hitler foi nomeado, em 1933, pelo Presidente da República?

R: foi nomeado para o cargo de Primeiro Ministro.

Exercícios do livro - Depressão econômica e New Deal

Atividades – pág. 97

1) Por que os anos de 1920, nos Estados Unidos, foram a década da prosperidade?

R: Os Estados Unidos usufruíram do capital acumulado durante a Primeira Guerra Mundial, criaram leis protecionistas, a produção industrial cresceu, o o que criou empregos e acesso aos bens de consumo.

2) O que significa “produção em série” e “consumo de massa”?

R: A produção em larga escala com produtos padronizados e usando linhas de montagem é chamada de produção em série.

A elevação dos salários, que causou expansão das vendas (inclusive à crédito) e impulsionando a classe média a comprar, é chamada de consumo de massa.

Atividades – pág. 99

1) Quais eram os pontos vulneráveis da prosperidade americana da década de 1920?

R: Era a política externa do país. A queda nas exportações aconteceu devido a diminuição das compras pelos países europeus, que voltaram a produção normal.

2) Qual era a relação de dependência entre os Estados Unidos e os países europeus?

R: Os países europeus dependiam das exportações para os Estados Unidos para pagar as dívidas contraídas (com os norte-americanos).

Doc 2 – pág. 101

1) O que levou à Grande Depressão?

R: Entre 1926 e 1929, o índice da Bolsa de Valores de N. York subiu de 105 para 220 pontos. Porém, os negócios reais (produtivos) cresceram somente de 105 para 120. A alta das ações estava baseada em falsas expectativas de lucros das empresas.

Atividades – pág. 103

1) Por que o CRACK da Bolsa de Valores de N. York se tornou uma crise mundial?

R: Os E.U.A. reduziram drasticamente as suas importações e cortaram empréstimos e investimentos no exterior. Isso abalou as economias de diversos países.

2) Alguns economistas da época acreditavam que a crise acabaria com o capitalismo. Eles estavam certos? Explique.

R: Não estavam certos. A crise levou o capitalismo a iniciar uma nova fase. Essa época foi marcada pela intervenção dos estados na vida econômica e social.

3) Por que o New Deal é um exemplo de intervenção do Estado na economia?

R: porque, com o New Deal, o Estado executou obras para dar emprego, destruiu produtos para aumentar os preços, estabeleceu cotas de produção para as empresas, além de conseguir a criação de várias leis trabalhistas no Congresso.

sábado, 17 de setembro de 2016

Exercício: livro pág. 95

DOC1

1) O que o “perigo vermelho” ameaçava fazer?

R: alterar o modo de vida norte americano, que a classe média e os empresários temiam que fosse substituído por uma das versões do socialismo (o vermelho é a cor símbolo do socialismo).

2) Que perigo ele representa?

R: Uma revolução que extinguisse a propriedade privada e as liberdades individuais.

3) Que mensagem esse cartaz transmitia à população norte-americana?

R: As ideias revolucionárias deveriam ser esmagadas (combatidas) pelos cidadãos dos EUA.

DOC 2

1) Que ideias os imigrantes defendiam?

R: Ideias anarquistas.

2) Por que essas ideias eram tão temidas pela população e pelas autoridades norte-americanas?

R: Eram consideradas subversivas. Pretendiam acabar com o modo de vida norte-americano.

3) Como acabou o caso Saco e Vanzetti?

R: com a condenação à morte dos dois acusados, mesmo que as evidências mostrassem a sua inocência. A condenação foi mantida por causa de suas posições ideológicas.

DOC 3

1) Qual é o significado da cor do uniforme da KKK?

R: O uniforme foi idealizado para ocultar a identidade do participante nas atividades externas (por isso a máscara) e transmitir a aparência de fantasma e, assim, causar medo.

2) Por que essa organização é um exemplo de intolerância e da corrupção da sociedade americana na década de 1920?

R: Porque perseguia negros, judeus, homossexuais, estrangeiros em geral, socialistas (comunistas e anarquistas), pessoas que não fossem cristãs (protestantes) e de origem anglo-saxã.

ATIVIDADES

1) O título deste módulo aponta uma contradição. Qual é? Explique.

R: As palavras INTOLERANTE X DEMOCRACIA.

O conceito de democracia carrega o significado de liberdades individuais e respeito mútuo. A intolerância não deveria existir em uma sociedade democrática.

2) Que setores da sociedade norte-americana mais sofreram a intolerância dos anos 1920?
R: Contra as pessoas que não se enquadravam no perfil das pessoas brancas, de origem anglo-saxônica e protestante.
3) O que era a Ku Klux Klan e contra quem se voltava?

R: Originalmente era uma sociedade formada por ex-combatentes [WT1] sulistas (derrotados) da Guerra de Secessão. Tentavam impedir a integração dos negros à sociedade norte americana após o fim da escravidão.
Voltava-se contra os imigrantes (xenofobia), negros, judeus, católicos, comunistas e homossexuais.



As duas palavras iniciais do nome da organização, “Ku Klux”, aparentemente vêm da palavra grega kyklos, que significa “círculo”. Já o termo “Klan” teria sido acrescentado para dar melhor sonoridade à expressão, além de fazer uma referência aos velhos clãs, grupos familiares tradicionais.


Ku Klux Klan volta a assombrar os EUA

Grupo supremacista branco vê política no país ir ao seu encontro
por O GLOBO
04/07/2016 4:30 / Atualizado 04/07/2016 21:46

Ódio. Integrantes da KKK queimam cruz e suástica nazista em ato pelo “orgulho branco” noestado da Geórgia em abril - AP/Mike Stewart.

 BIRMINGHAM, ALABAMA, EUA — Nascida das cinzas do derrotado Sul após a Guerra Civil Americana, a Ku Klux Klan ressurgiu antes de perder a luta contra os direitos civis nos anos 1960. Então, as inscrições minguaram, o grupo se dividiu e alguns de seus integrantes foram para a prisão por uma série de assassinatos de negros. Muitos presumiram que o fantasma do ódio e da violência, tinha morrido, mas a KKK, com também é conhecida, ainda está viva e sonha em retornar a ser o que outrora foi: um império invisível da supremacia branca que espalha seus tentáculos pela sociedade. Aos 150 anos de existência, a Ku Klux Klan está tentando se reformar para uma nova era. Integrantes ainda se reúnem sob o céu estrelado no meio da noite para pôr fogo em cruzes, e panfletos da KKK apareceram em subúrbios desde o Sul até o Nordeste dos EUA. E algumas organizações independentes estão se juntando a grupos maiores para ganhar força.
— Vamos trabalhar por uma Klan unificada ou uma aliança — diz Brent Waller, “mago imperial”, um título de liderança, dos “Cavaleiros Brancos Unidos de Dixie”, no estado do Mississippi.

Em uma série de entrevistas à agência de notícias “Associated Press”, seus líderes afirmam considerar que a política nos EUA está indo ao seu encontro, com uma mentalidade nacionalista de “nós contra eles” ganhando terreno em toda nação. Eles apontam, por exemplo, que interromper ou limitar a imigração — um desejo da Klan que data dos anos 1920 — é uma causa maior do que nunca. E destacam ainda que as inscrições aumentaram neste fim do segundo mandato do presidente Barack Obama, embora poucos deles forneçam números.
Se juntar à Klan é tão fácil quanto preencher um formulário — desde que você seja branco e cristão. Integrantes podem visitar uma loja on-line para comprar seus característicos roupões brancos de algodão por US$ 145, embora muitos se deem ao “luxo” de comprar a versão de US$ 165 feita de cetim.
Embora a Klan tenha aterrorizado minorias durante boa parte do século passado, seus líderes agora se apresentam ao público mais virulentos do que violentos. Lideranças de diversos grupos dizem ter regras contra a violência a não ser que seja em autodefesa, e mesmo opositores concordam que a KKK baixou o tom após vários membros irem para a prisão por ataques incendiários, espancamentos, atentados a bomba e tiros anos depois dos fatos terem ocorrido.
— Embora a Klan de hoje ainda esteja envolvida em atrocidades, ela não é de forma alguma tão violenta quanto a Klan dos anos 1960 — avalia Mark Potok, do Centro Legal para a Pobreza do Sul, grupo de advocacia que se dedica a acompanhar as atividades de organizações que considera extremistas. — Isso não significa, porém, que ela é um grupo benigno que não se engaja em violência política.
Hoje, alguns líderes da Klan falam com a imprensa abertamente, articulando planos ambiciosos que incluem construir força política. Alguns grupos fazem até convenções anuais para discutir estratégias que incluem eleger membros para cargos políticos locais e recrutar “sangue novo” via internet. É difícil calcular quanto integrantes tem a KKK nos EUA hoje, mas estimativas apontam para não mais de 6 mil, pouco frente os 2 milhões a 5 milhões que tinha nos anos 1920.





domingo, 11 de setembro de 2016

O Mundo entre guerras.

Podemos dizer que esta fase se inicia em 1919, ano da assinatura do Tratado de Versalhes.  Uma das características do período é o esforço dos países europeus pela reconstrução, devido aos estragos causados pela Primeira Guerra Mundial.
Esta fase se alonga até o início da Segunda Guerra Mundial (1939). Alguns estudiosos do período preferem dizer que o “Entre Guerras” seria uma trégua longa de uma guerra só (de 1914 a 1945).
Mais importante, nesse nosso momento de estudos, é registrarmos algumas questões relativas ao espaço de tempo entre 1919 e 1939.
Estados Unidos
O país participou do conflito enviando tropas para combaterem na Europa. A participação foi mais importante no que se refere ao abastecimento das tropas da “Entente”, sobretudo as britânicas.
Sem ocorrerem combates no território dos Estados Unidos os danos da guerra foram muito pequenos, enquanto as vantagens comerciais com a vitória foram gigantescas.
A década de 1920, nos Estados Unidos, foi marcada por grande euforia de desenvolvimento e de possibilidades de enriquecimento individual. Muitos cidadãos comuns investiam na bolsa de valores, em empresas que cresciam sem parar. Fortunas eram construídas com grande rapidez.
Mas, os países da Europa avançaram na reconstrução e a concorrência mundial retornava. As empresas Norte Americanas passaram a crescer pouco ou nada.
A produção não encontrava comprador. As dificuldades das empresas foram escondidas ou disfarçadas.  O mercado de capitais (as negociações de ações de empresas na Bolsa de Valores) criou artifícios e enganou os investidores.  Mas esses disfarces não duram para sempre.
Em setembro de 1929 a Bolsa de Valores de Nova York quebrou (Crash da Bolsa). Não foi possível manter os negócios com as ações com filas de investidores para vender os seus papéis, sem que aparecessem compradores.
A sucessão falências de bancos, fábricas e empresas de todos os ramos causou crescente desemprego e enorme miséria na população. O nível de consumo ficou muito baixo. A produção econômica diminuiu em todo o país. Esse fenômeno econômico ficou conhecido como “Depressão Econômica”.                
Franklin Roosevelt
As soluções para a crise somente começaram a surgir quando foi eleito, para a presidência dos Estados Unidos, Franklin Roosevelt. Ele lançou um plano de recuperação chamado New Deal (novo acordo). As dificuldades da crise ainda não estavam totalmente superadas por ocasião do início da Segunda Guerra Mundial.
As consequências dessa depressão atingiram quase o mundo todo. A reconstrução da Europa foi interrompida, o que estimulou o crescimento ou surgimento de regimes políticos considerados totalitários.
No Brasil, a crise Norte Americana agravou a dificuldade de comercialização do principal produto do país, o café. Esse fato acelerou o fim da Primeira República e a chegada ao poder do gaúcho Getúlio Vargas.
Clique no link abaixo para assistir ao vídeo que conta como os Estados unidos entraram em crise.

Regimes políticos Totalitários.

Benito Mussolini
Os totalitarismos tentaram impor controles sobre todas as práticas da sociedade com medidas autoritárias, perseguição e eliminação da oposição, censura e imposições de regras sobre a vida cultural, esportiva, lazer, e tudo mais. Usava a propaganda para estabelecer padrões desejáveis pelos líderes governamentais e nacionalismo exacerbado.
Joseph Stalin
Encontramos como os mais destacados regimes totalitários dessa fase o Fascismo (Itália), o Nazismo (Alemanha), ambos mantinham o capitalismo (considerados como de extrema direita), mas também o Stalinismo (URSS), que defendia o socialismo (considerado de extrema esquerda).
Adolf  Hitler
Não podemos deixar de registrar as realidades políticas de Portugal (Salazarismo) e da Espanha (Franquismo) que se aproximavam muito das ideias fascistas de Benito Mussolini (Itália).

Todas essas ideias políticas influenciaram movimentos políticos em todas as regiões do mundo. Na Europa, contribuíram para a eclosão da Segunda Guerra Mundial.

Assistam aos vídeos abaixo para encontrarem informações a respeito de Totalitarismo e de Nazismo.




video





video


quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Triunfo da Cor

Esta exposição pode valer ponto para os estudantes do 9º ano, Colégio Pedro II (CEN II), usando as mesmas regras das outras exposições recomendadas.

 Paul Gauguin

No CCBB há sempre coisas muito interessantes para ver e para participar. Atualmente temos mais um belíssimo presente com a exposição “Triunfo da Cor”.
São 75 trabalhos de 32 artistas considerados “pós-impressionistas” (de acordo com o crítico inglês Roger Fry).
É imperdível.
Temos a nosso dispor, sem custo algum, trabalhos de artistas como Van Gogh, Gauguin, Toulouse-Lautrec, Cézane, Seurat, Matisse, e vários outros.
Fiquei muito feliz por ter visitado e apreciado essa exposição.
Se você perder, talvez só consiga ver esses trabalhos em dois locais diferentes, em Paris (Musée d’Orsay e Musée l’Orangerie). Só fica no Rio de Janeiro até o dia 17 de outubro.

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Exercício de aula 7 - correção





Revolução Russa - há alguns exercícios que talvez não tenham aparecido nas aulas, mas são úteis para nossos estudos.


- pág. 55 – ATIVIDADES


1) Para a Burguesia do final do século XIX, socialismo, comunismo e anarquismo tinham o mesmo significado. Por quê?


R: O conjunto de doutrinas chamadas “socialistas” defendiam o fim do Estado liberal e a substituição do individualismo burguês por uma sociedade sem classes sociais (predomínio do bem comum).


2) O que há em comum entre as três doutrinas? O que as diferencia?


R: Todas querem o fim do individualismo burguês, a eliminação das classes sociais e o fim da propriedade privada dos meios de produção. Os anarquistas eram diferenciados por defenderem o fim do Estado e de todo o controle político, enquanto as outras correntes desejavam controlar o Estado para impor as mudanças.


- pág. 57 – ATIVIDADES


1) Se o Império Russo passava por um rápido desenvolvimento industrial, como explicar o título desse módulo?


R: A servidão foi extinta em 1861, mas os trabalhadores rurais continuaram sob domínio dos grandes senhores rurais. Os operários estavam sujeitos a longas jornadas de trabalho, baixos salários, proibição de greves e de sindicatos. Também ocorriam crises periódicas de abastecimento, pois a maior parte da produção agrícola era destinada à exportação.


2) Por que a população russa estava descontente com o regime czarista?


R: O estado russo era uma monarquia absolutista por direito divino. As conquistas liberais alcançadas por outros países ainda não existiam na Rússia, além das questões econômicas e sociais.


- pág 59 – ATIVIDADES


1) Por que a Primeira Guerra Mundial é considerada o fator desencadeador do processo revolucionário russo?


R: O envolvimento na guerra abalou de forma irreversível a política e a economia do império russo. As derrotas e o grande número de mortos colocou o exército, desmoralizado, contra o governo czarista. A falta de alimentos e mercadorias em geral gerou protestos, passeatas e greves.


2) Por que comemora-se a Revolução Russa em outubro e não em março, data da queda do czar Nicolau II?


R: As medidas tomadas pelo governo provisório criado na primeira revolução não acalmaram as manifestações. Por isso as propostas mais radicais foram adotadas na segunda revolução de 1917, liderada por Lênin, ocasião em que os Bolcheviques assumiram o poder.


Primeira Guerra Mundial - há alguns exercícios que talvez não tenham aparecido nas aulas, mas são úteis para nossos estudos.


- pág 83 – DOC 1 – No início do século XX, países europeus disputavam o controle sobre o Mar Mediterrâneo oriental.


1) Quais eram esses países?


R: Alemanha, Rússia, Grã Bretanha, França e Itália.


2) Em que regiões cada um deles exercia algum tipo de intervenção?


R: Alemanha (Império Turco), Rússia (Mar Negro e Estreitos), Grã Bretanha (Região dos Bálcans, Egito e Chipre), França (Síria), Itália (Líbia).


3) Qual era o interesse da Alemanha ao construir a ferrovia Berlim-Bagdá?


R: Conquistar o mercado consumidor do Império Turco.


-pág 83 – DOC 2 – No início do século XX, a Europa foi sacudida por numerosos conflitos nacionalistas, provocados por povos que não aceitavam se submeter a outros Estados.


1) Onde os conflitos ocorreram?


R: na região dos Bálcans.


2) Que países faziam reivindicações territoriais?


R: o Império Áustro-Húngaro, a Sérvia e o Império Russo.


3) Por que a Áustria-Hungria se sentia ameaçada?


R: Porque era um império multirracial com vários movimentos separatistas apoiados pelo Império Russo.


- pág. 87 – DOC 1 – A guerra se prolongava e as dificuldades cresciam. Civis e soldados estavam cansados e desencorajados.


1) A quem era dirigida a propaganda de guerra?


R: aos cidadãos (patriotismo).


2) O que essa propaganda pretendia?


R: manter alto o moral dos soldados e dos civis.


3) Qual é a imagem da guerra mostrada nos cartazes?


R: encorajadora, com decisões e glória.


- pág. 87 – DOC 2


10 Como o desenvolvimento tecnológico está ligado a esse quadro de devastação?


R: os avanços tecnológicos possibilitaram a criação de armas de grande poder de destruição, por isso causadoras de grande número de mortes.